ANTONIO ROSITO ROBYN

“Antônio nasceu no dia 10 de julho de 2015, pesando 1,210kg, prematuro de 32 semanas. Veio ao mundo vigoroso, mostrando sua vontade de viver. Progredia bem na UTI neonatal, mamando no peito e ganhando peso. No seu vigésimo quinto dia de vida, tudo mudou. Tom foi acometido por uma doença chamada Enterocolite Necrosante. A doença devastou seu intestino. Realizou mais de 6 cirurgias, ficando com o intestino ultracurto – 9cm. Recebia toda a sua nutrição por veia. 

Antônio mostrou, diversas vezes, que veio ao mundo ensinar e aproximar as pessoas. Foi o maior guerreiro que conhecemos. Suas batalhas eram vencidas diariamente. Antes disso tudo não sabíamos da existência dessa doença – uma das maiores causas de morte em bebês prematuros. Um mistério para medicina.

Antônio partiu dia 21 de maio de 2016, com 10 meses e 11 dias de vida. Pela memoria dele, e com ele como inspiração, queremos ajudar aqueles que enfrentam a mesma luta. Antônio, com menos de um ano de vida, mostrou ao mundo para que veio.”

Bia Rosito – mãe apaixonada e dedicada, conselheira do PGG

Blog do Tom

Durante o tempo que Tom ficou no hospital, Bia escreveu um blog. O nome do blog inspirou o nome do PGG.Nesse blog a historia do Tom e do seu irmão gêmeo, Daniel, é contada em detalhes. Leitura muito recomendada para quem quiser conhecer mais sobre esse ser de muita luz e sobre como a familia descobriu e lidou com a doença.
Pequeno Grande Guerreiro

Sorrisos

Tom sempre estava sorrindo! Essa é uma das maiores lições que ele nos ensinou. Se ele, que nunca saiu de um hospital, sorria, quem somos nos para ficar chorando?

Gêmeos

O Tom trouxe junto com ele para esse mundo o Daniel, nosso raio de sol. Tom era moreninho e Dani é loirinho. Dani também é um guerreiro. Todo irmã/o de bebê afetado pela enterocolite necrosante é um guerreiro. Ter um irmã/o afetado/a pela doença significa uma mudança de rotina grande. Nosso Dani teve um começo de vida bem diferente de outros bebês saudáveis, com muito tempo passado fora de casa e muitas idas ao hospital para brincar com seu irmão. Tom hoje é o anjinho do Dani.

Hospital

Tom nunca saiu do hospital. Isso é algo que surpreende algumas pessoas que não conhecem sua historia direito e que veem suas fotos. Tom sempre aparece muito bem e, como já falado, sempre sorrindo. O quarto do Tom no hospital era um lugar de muita festa, alegria, doces, gente, musica e balões. Tom nos ensinou que um hospital não precisa ser um lugar triste. Um bebê doente e internado não é, necessariamente, um bebê triste. Pelo contrario, Tom era muito feliz, tinha uma energia fantástica e essa energia contagiava todos que o visitavam!

Simpatia

Tom adorava balões, especialmente balões vermelhos! Ele gostava de assistir Galinha Pintadinha e a abertura da novela Caminho da Índia, que passava no Vale a Pena Ver de Novo. Tom era são-paulino. Ele gostava de ouvir a musica do Silvio Santos, aquela “Silvio Santos vem ai, ole ole olá”, mas ao invés de ‘Silvio Santos’, as pessoas cantavam “ Fofotonio vem ai”, com a musica original ao fundo, tocando no celular. E Tom gargalhava!

“Geladeiroteca” Viva o Tom

A geladeiroteca “Viva o Tom” é, antes de mais nada, uma manifestação de puro amor. É uma iniciativa de uma pessoa apaixonada pelo Tom para celebrar sua vida e ao mesmo tempo divulgar o trabalho do Instituto Pequenos Grandes Guerreiros. Continue reading ““Geladeiroteca” Viva o Tom”

Entrevista

Bia conta para a apresentadora Mariana Kupfer a historia do Tom, desde a gravidez até depois de sua partida. Bia e Nathalie encaram o luto falando sobre Tom e sempre irão falar sobre ele, sempre levarão o nome dele junto, no caso de Bia, que tatuou Viva o Tom no braço, isso acontece de maneira literal também.